Nanotecnologia reduz até 30% o consumo de energia com refrigeração

Revestimento elastocerâmico aplicado nos telhados de shoppings e edifícios ajuda ainda na impermeabilização e no aumento da higiene

A Vivante, uma das principais empresas de gestão de facilities e manutenção do país, iniciou o uso de nanotecnologia para revestir superfícies e gerar economias de até 30% no uso de energia elétrica com refrigeração em estruturas complexas - como edifícios comerciais e shoppings centers, por exemplo.

Trata-se de um sistema chamado Elastoceramic (nano pigmento formado basicamente por resina termoplástica e microesferas cerâmicas ocas). Quando aplicado, forma uma membrana que reflete até 80% da radiação solar incidente e repele água, além de servir como isolamento térmico e aumentar a agilidade nas rotinas de limpeza e higienização. A tecnologia diminui consideravelmente a carga de resfriamento do prédio, oferecendo uma série de benefícios como maior conforto térmico no ambiente interno, uso reduzido de ar-condicionado (resultando entre 10 e 30% de economia de energia) e menor custo de manutenção (devido à maior vida útil da superfície e menor uso do sistema de refrigeração).

Ela ajuda, também, a manter altos os padrões de higiene: para a limpeza da superfície aplicada com essa nanotecnologia, em geral, é necessário apenas água. Com isso, é possível diminuir em 85% o uso de produtos químicos, gerando economia financeira. Outra vantagem em relação à sustentabilidade é a compensação de gases de efeito estufa: para cada 10 mil metros quadrados de telhado há uma compensação de cerca de mil toneladas de CO2 por ano.

"Faz parte do nosso DNA técnico a busca constante de tecnologias inovadoras para os serviços que prestamos" explica Luis Paulo Farias, coordenador de Análises Estratégicas da Vivante. "Nosso objetivo sempre é oferecer a melhor solução para os clientes, e o Elastoceramic vai ao encontro dessa visão", observa o executivo.

O revestimento pode ser aplicado sobre diversos tipos de superfície, incluindo metal, cerâmica, concreto e outros.

Cases de aplicação

A Vivante aplicou o sistema em um prédio comercial na zona sul de São Paulo, que possui parte da cobertura de telhas metálicas e parte de laje de concreto. A aplicação do Elastoceramic rendeu uma diminuição de 30% na temperatura das telhas e eliminou os problemas de infiltração.

Em outro caso, de uma empresa de grande porte também na zona sul da capital, a aplicação do Elastoceramic reduziu a temperatura das telhas de 51°C para 35ºC.

 

Fonte:revistainfra